Arquivo da tag: dengue

Birigui terá arrastão contra a dengue amanhã

As ações acontecem das 7h30 às 13h30. Cada agente de saúde receberá do governo estadual R$ 120,00 por sábado trabalhado. Eles fazem o chamado ‘casa a casa’, percorrendo regiões onde o índice de casos de dengue é alto.

O primeiro arrastão ocorreu no último dia 11 de maio, quando foram visitadas 1.887 residências de Birigui. A Secretaria de Saúde irá trabalhar nas ações com 93 agentes e 8 supervisores.

Todos os profissionais estarão uniformizados.

Confira, abaixo, os bairros que serão visitados neste sábado (25 de maio):

Vila Staf, Vila Guarujá, Vila Germano, Village DiFiori, Jardim Sumaré, Perdizes Residencial Parque, Jardim São Cristovan, Residencial São Francisco, Parque São Vicente, Bosque da Saúde I e II e parte do Jardim Bolleli.

Fonte: Folha da Região.

Share Button

Alerta contra o mosquito da Dengue

Período chuvoso facilita proliferação de criadouros para larvar do mosquito Aedes aegypti — Foto: Reprodução/EPTV

Com a volta do período de chuvas, as autoridades de saúde dobram a atenção contra o mosquito Aedes aegypti em cidades da região noroeste paulista, já que as larvas do inseto se multiplicam com água acumulada.

Os ovos do mosquito duram até um ano em recipientes secos e mesmo no período de seca ele se mantém. Com a chuva, ele eclode, vira larva que em poucos dias se transforma no mosquito.

Na primavera, considerada uma estação de transição, a chuva aparece com mais frequência e maior volume. Segundo o Instituto Fiocruz, o combate deve ser redobrado nesta estação.

O calor também é outro fator que favorece a proliferação do mosquito nesta época do ano. De acordo com a Fiocruz, quanto mais possíveis criadouros disponíveis e as temperaturas elevadas, melhor para o Aedes procriar, ou seja, nesta época o desenvolvimento dele acelera.

Cuidado redobrado nessa época do ano: não deixe água parada!

Fone: G1.

 

Share Button

Com infestação acima de 10%, Birigui inicia mutirões de limpeza

Agentes comunitários fazem limpeza de áreas com materiais que possam servir de criadouro do mosquito

O resultado do primeiro Liraa (Levantamento de Índice Rápido do Aedes aegypti) de 2018, feito pelo Serviço de Vigilância Epidemiológica da Prefeitura de Birigui deixou a administração em alerta. O município obteve índice de 10,2%, enquanto o recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) é de até 1%.

Diante do resultado, a administração programou ações emergenciais de prevenção e combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela. A partir desta quinta-feira (15), diversas ações serão feitas pela Secretaria de Saúde para diminuir o índice de infestação. Os trabalhos foram definidos em reunião entre o CCVZ (Centro de Controle de Vetores e Zoonoses), Vigilância Sanitária, Vigilância Epidemiológica e ESF (Estratégia Saúde da Família).

Agentes comunitários de saúde e de combate a endemias, além de supervisores, realizarão mutirões nos bairros Residencial Braguim, Parque Residencial Pinheiros, Parque Pinheiros, Jandaia 1 e 2, Jardim Planalto, Residencial Mário Crem dos Santos e Jardim Ypê.

“O índice é preocupante, pois coloca a cidade em risco para surto de dengue e outras doenças transmitidas pelo mosquito. Vamos realizar mutirões em todas as áreas com maior concentração de larvas e intensificar outras atividades que são realizadas diariamente. Pedimos à população, nossa principal aliada, que nos ajude nesta luta”, disse o educador de saúde, Marco Antônio Sanchez.

Nos bairros Cidade Jardim e Vila Bandeirantes, áreas com maiores focos de larvas, já houve eliminação de potenciais criadouros do mosquito das residências, estabelecimentos comerciais e terrenos baldios, bem como o trabalho de conscientização dos moradores.

Os mutirões contam com o apoio da secretaria de Serviços Públicos, Água e Esgoto, no recolhimento dos materiais inservíveis retirados dos imóveis. Além dos mutirões, foi intensificado também o monitoramento regular dos pontos estratégicos e imóveis especiais, como escolas, hospitais, ferros-velhos, borracharias, entre outros.

A equipe do IEC (Informação, Educação e Comunicação) mantém os trabalhos educativos nas unidades escolares, visando alertar as crianças sobre os perigos da dengue e demais doenças.

O Liraa se dá pela divisão do número de recipientes encontrados com larvas pela quantidade de imóveis visitados, multiplicado por 100. Conforme o Executivo, os agentes de combate a endemias percorreram 472 quadras, onde foram vistoriados 2.062 imóveis por toda a cidade. Durante o levantamento, foram encontrados 209 criadouros com larvas e, dentre os recipientes flagrados pelos profissionais de saúde nos imóveis estão ralos internos e externos, vasos de plantas, bebedouros de animais, latas, frascos e plásticos utilizáveis, baldes, pneus, lonas, piscinas, entre outros.

A região com maior infestação é a que compreende os bairros Cidade Jardim, Vila Bandeirantes, Bosque da Saúde, Vila Xavier, Jandaia 2 e o Pinheiros, com índice de 13,53%. Na sequência aparecem Distrito Industrial, Novo Parque São Vicente, Vila Isabel Marin, Jardim do Trevo e Vale do Sol, com resultado de 9,39%.

A região dos bairros Quemil, Silvares, Recanto Verde, Portal da Pérola, Santo Antônio e Aeroporto aparece na sequência com 9,32%. Já a área que concentra o Monte Líbano, João Crevelaro, Ivone Alves Palma, Copacabana, Alto do Silvares, Cohab 3, São Braz e Thereza Maria Barbieri, teve índice de 7,85%.

A administração informou que, dentre os fatores que contribuíram para o aumento do índice do Liraa está os “fatores climáticos e ambientais”. De janeiro até o último dia 5, foram registrados quatro casos positivos de dengue e 19 estão sob investigação. Estão sob análise dois casos de chikungunya e um de zika. Não há nenhuma notificação por febre amarela.

Em 2017, Birigui registrou 88 casos positivos de dengue e seis de chikungunya.

Fonte: Folha da Região.

Share Button
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...